Concepções de mundo, sociedade e homem

Imprimir
Share this post
FaceBook  Twitter  Mixx.mn     

Concepções de mundo, sociedade e homem

            O mundo vive uma época sem precedentes. Há um caos instalado nas várias instâncias e instituições sociais que atinge a tudo e a todos. Esse caos é denominado por muitos como pós-modernidade ou modernidade inacabada que, num contexto de globalização, contribui para a modificação de valores, costumes, modos de vida; enfim, conduz a uma nova época – complexa e de difícil entendimento.

            O caos gerado pela pós-modernidade alastrou-se pelo mundo, assumindo dimensões sem precedentes. Esse alastramento, e todas as suas implicações, é também denominado de globalização e se constitui na base material dessa nova época pós-moderna. Como núcleo central, senão mais evidente dessa nova época, impõem-se a lógica de mercado e o consequente acúmulo de riquezas. Em outras palavras, tudo precisa ser pensado em termos econômicos. A dimensão econômica da globalização imbrica-se em todos os processos da vida humana: na cultura, na política, na sociedade, nas formas de pensar; enfim, cria amarras que prendem o homem na tentativa de transformá-lonum ser desprovido de qualquer senso ativo de história, de valores, de cultura e de capacidade de fuga ou reação contra esse novo e perverso fenômeno.

            Em suma: o mundo vive um novo contexto, um momento que, para muitos, é o caos, um túnel profundo e sem saída. “[...] chegamos ao fim da História e o que resta é festejá-lo”. (SANTOS, 2007, p. 18).

        Se as evidências se materializam indicando que o mundo está mergulhado em uma perspectiva derrotista em que a barbárie não tem mais limites, torna-se imperativo, daqui em diante, problematizar e questionar esse novo momento de forma que, partindo de um processo dialético, se possa abrir caminhos por intermédio da pós-modernidade. É preciso, mais do que nunca, assumir o que Santos (2005) e Ianni (1997) se propõem, isto é, debruçar-se para compreender, desafiar e transformar essa nova época. Para isso, é preciso, em primeiro lugar, uma visão otimista e utópica de futuro. Como instrumento de reflexão, compreensão e explicação importante, a racionalidade humana deverá tomar novamente o seu lugar, racionalidade esta que, felizmente, já assumiu que as ciências sociais construídas pelos países centrais[1] denotam não mais suportar respostas aos problemas hoje vigentes. Denotam ser incapazes de produzir soluções, alternativas e ideias. Em outras palavras, a ideia da reação, da contrapartida a esse fenômeno tem como base a possibilidade de reinvenção da emancipação social. Em síntese, como dito, é preciso abrir caminhos por intermédio da pós-modernidade. É preciso apostar na emancipação social de forma a reduzir as desigualdades. É preciso se dirigir em mão contrária e, assim como fez Boaventura de Sousa Santos, “ [...] é preciso continuar com a ideia de emancipação social.” (SANTOS, 2007, p. 18).

            Foi com base na ideia de reação – de busca da emancipação social e, portanto, da cidadania,de uma visão de homem enquanto sujeito constituído historicamente – que se originaram as primeiras intenções do presente Projeto Político-Pedagógico.  Essas intenções têm como questão comum a busca por uma opção concreta de reação, isto é, diante de um pessimismo que se reflete na pós-modernidade, há algum caminho possível e factível? É, a escola, capaz de colaborar para mudar esse cenário? E o Colégio Santa Rita, como se insere nesse processo? Sua missão e objetivos conduzem à emancipação dos sujeitos envolvidos? É possível, em síntese, que o Colégio Santa Rita construa um caminho possível (por entre os problemas sociais de toda ordem) que conduza a um mundo e a uma sociedade melhor? É possível, finalmente, colaborar efetivamente para a formação de um homem mais consciente de seus direitos e deveres, atento aos problemas sociais, ambientais, econômicos e histórico-culturais, portanto, mais cidadão?

            É nesse plano de questionamentos que se inserem, portanto, as concepções de mundo, sociedade e homem do presente Projeto Político-Pedagógico (PPP). São essas questões – problematizações – que este projeto procurará responder durante a materialização deste projeto. Paralelamente, são essas mesmas questões que guiarão o Colégio Santa Rita porque, à medida que a comunidade escolar procurará realizar reflexões e ações para responder a essas questões, estará sendo orientado pelas mesmas num autêntico processo de atualização e indagação de que mundo, sociedade e homem pretende construir.

[1] Os países do Norte do globo; os países ricos, aqueles países que, historicamente, atuaram enquanto colonizadores;

Monday the 22nd.